OTA x Canal de venda próprio: por que uma opção não exclui a outra?

OTA x Canal de venda próprio: por que uma opção não exclui a outra?

As chances de ter um bom nível de vendas depende da visibilidade do seu negócio. Veja porque investir tanto em OTAs quanto em canais próprios do hotel.

O hotel aumenta as chances de conseguir bons resultados no final do mês, se tiver mais canais de vendas à sua disposição.

Mas a administração de canais de venda é algo que demanda atenção e estratégia – principalmente se não há o uso de tecnologias auxiliares, como o Channel Manager, que faz integração com os canais de venda e controle do inventário.

Com isso, muitas equipes gerenciais acabam reduzindo os canais de vendas aos mais simples: o balcão, o site (que é o canal próprio de vendas do hotel), e uma ou outra OTA e Agência de Viagem.

O hotel não pode medir esforços para ser visto e estar presente nos principais canais de venda. Assim fica evidente que possuir um canal próprio de vendas não exclui a necessidade de vender as diárias em meios terceirizados, como OTAs.

Separamos abaixo algumas informações sobre a importância da multicanalidade nas vendas online, abordando tanto o canal exclusivo quanto as OTAs. Confira!

OTA x canal de venda próprio do hotel: a importância de um meio exclusivo

Para entender a importância da estratégia multicanal, é preciso compreender o que cada um tem a oferecer para o empreendimento hoteleiro. No comércio eletrônico, o canal de vendas exclusivo de um hotel é seu site. Ele é capaz de reunir todas as informações, assim como conteúdos informativos, fotos e avaliações.

Para um site funcionar como um canal de vendas, ele precisa ser dotado de um motor de reservas, que é um sistema que possibilita ao cliente realizar suas reservas e efetuar o pagamento.

Sem um motor de reservas, o site funciona apenas como um mostruário dos serviços e da estrutura do hotel. Portanto, é fundamental utilizar um sistema indexado ao site. Você pode conhecer mais sobre o motor de reservas aqui.

Por que contratar um motor de reservas para o site do hotel?

Se essa pergunta passou pela sua cabeça, a resposta é simples: para potencializar o faturamento e estimular a relação de consumo entre o cliente e o empreendimento.

Um motor de reservas possui uma taxa de comissionamento muito abaixo das OTAs, que chegam a cobrar seus serviços em até 25% do valor da venda. Inclusive, em alguns casos, não há taxa, apenas o valor recorrente do sistema do motor.

Essa alta taxa de comissão das OTAs faz com que o hotel tenha um faturamento menor para cada diária vendida, e é aí que entram os benefícios do canal próprio. Ao vender diretamente em seu site, o hotel paga uma taxa bem menor e tem a oportunidade de se relacionar diretamente com o cliente.

Ou seja, o consumidor se torna cliente do hotel e não da OTA!

Se ter um canal próprio é fundamental, porque apostar nas OTAs?

Para responder essa pergunta é preciso pensar em algo fundamental para qualquer negócio: o marketing e a visibilidade.

As OTAs são empresas extremamente capacitadas que operam a nível global, e dentro de suas estratégias de negócio está incluído um alto investimento em divulgação. Sites como a Booking e Expedia investem bilhões de dólares em anúncios e estratégias de captação de clientes.

Os resultados desses investimentos são comprovados pelo alto volume de vendas efetuadas por esses canais. Resumindo: estar fora das OTAs é algo que reduz drasticamente a sua visibilidade para o mercado, algo que nenhum hotel quer, ainda mais por se tratar de um mercado de alta competitividade.

Por mais que as OTAs tenham altas taxa de comissionamento, é melhor contar com as vendas que elas efetuam, mesmo com um retorno menor.

A capacidade de trazer novos clientes para os hotéis é inegável, cabe à equipe do empreendimento efetuar um bom atendimento e se comunicar com os clientes trazidos pelas OTAs, informando todos os benefícios e vantagens de fazer a reserva diretamente em seu canal exclusivo.

Essa é uma forma de obter o cliente via OTA e “convertê-lo” para cliente do hotel, algo que traz mais retorno financeiro e otimiza a relação cliente/consumidor.

Como fazer o controle das reservas e das vendas em diversos canais?

Agora que você já sabe quais são as vantagens oferecidas pelo canal exclusivo de vendas e pelas OTAs, chegou a hora de pensar na execução.

Administrar diversos canais de vendas não é algo tão simples. É preciso:

  • Atualizar o tarifário;
  • Conferir disponibilidade e allotment;
  • Ficar de olho nas disparidades de tarifa (uma atitude muito reprovada pelos maiores canais de vendas).

Todas essas demandas citadas acima precisam ser conferidas em cada um dos canais, ou seja, trata-se de uma tarefa bastante mecânica, mas que demanda muita atenção. Qualquer erro de digitação pode resultar num overbooking, numa disparidade ou no fechamento da disponibilidade de maneira indevida.

Para resolver esse problema, os maiores players do mercado hoteleiro utilizam o Channel Manager. Esse software para administração de canais é algo fundamental para agilizar a atualização e análise dos canais de vendas, já que a ferramenta automatiza essa tarefa, economizando tempo de trabalho e reduzindo as chances de erros.

Além da automação, o Channel Manager também realiza a compilação de dados de vendas e emite relatórios completos, que ajudam a analisar o desempenho de cada canal. Você pode saber mais sobre a importância de um Channel Manager para um hotel aqui.

Conclusão: Mais é sempre mais

Em termos de vendas, mais sempre será mais. Quanto maior for o número de canais de vendas disponíveis para um hotel, maiores são as chances de vender bem. Portanto, não é possível pensar em estratégias excludentes.

O site próprio do hotel e as OTAs se complementam com o objetivo de potencializar resultados. Então nada de reduzir a visibilidade do seu hotel ou deixar tudo na mão das OTAs também.

 

Navegue pelo nosso blog para ficar por dentro de mais dicas, novidades e informações sobre o universo hoteleiro e estratégias de mercado para hotelaria!



Fechar Menu